Main Ad

Grupo 100 Fronteiras recebe prêmio de R$ 5 mil por vencer concurso em Barretos

Grupo 100 Fronteiras recebe prêmio de R$ 5 mil por vencer concurso em Barretos

O Grupo de Dança 100 Fronteiras, da Coordenadoria de Inclusão Social, recebeu premiação de R$ 5 mil pela conquista do primeiro lugar no 3º Festival Nacional de Dança Livre, realizado em Barretos, no ano passado. No dia da apresentação, os participantes ganharam o troféu. Já o valor em dinheiro é a novidade do momento. Isso porque o prêmio anunciado seria uma estadia no litoral paulista, mas acabou inviável, devido à atual condição de pandemia.

A quantia foi dividida em partes iguais entre os 10 integrantes. A entrega foi feita esta semana pela equipe da Inclusão Social, que teve a oportunidade de reencontrar os alunos – já que as atividades e ensaios estão temporariamente suspensos. No contato entre eles foram seguidas as normas de segurança contra o coronavírus.

Esse é mais um capítulo na história do grupo, que soma conquistas e tem por diferencial a dança entre pessoas com deficiência.

O palco une performances de dois deficientes visuais, três deficientes intelectuais, quatro deficientes físicos e um idoso. Os dançarinos deram mostras do potencial e talento que têm na apresentação em Barretos. Por consequência, Catanduva levou a melhor entre 37 danças, de 34 municípios, que representaram três estados.

Na oportunidade, eles apresentaram a coreografia intitulada “Transfiguração”, ao som de Tocando em Frente, música de Almir Sater. A produção remeteu ao passado, contando a história de como as situações aconteciam na roça e na vida das pessoas que trabalhavam na zona rural.

O Grupo de Dança 100 Fronteiras é dirigido pela professora Pamella Soffiatti, autora da coreografia e, no dia da apresentação em Barretos teve por auxiliares Pedro Henrique Côrrea, Odácio Vieira de Souza Júnior e Max Cruz.

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem
Main Ad
Main Ad