Breaking News

Main Ad

Professores de Cajobi recebem o pior salário da região

Professores de Cajobi recebem o pior salário da região
EMEF Dr. Adhemaro Godoy, uma das escolas pertencentes a rede municipal de educação. Foto: Jean Morelli.

Neste mês a Prefeitura de Cajobi divulgou o Processo Seletivo 01/2018 para a educação e conforme o esperado os valores dos salários dos professores continua defasados chegando a ser um dos piores da região. O reconhecimento salarial da classe dos professores vai totalmente contra os resultados divulgados neste ano onde, segundo o IFDM, a educação em Cajobi está entre as 100 melhores do Brasil.

Segundo o edital do Processo Seletivo Nº01/2018, divulgado no Diário Oficial da Prefeitura de Cajobi, o salário máximo que um professor poderá receber por hora/aula é de R$10,84 e mínimo de R$9,37. Comparando com algumas cidades da região, por exemplo, em Olímpia o valor máximo é de R$15,17 e o mínimo de R$13,45 por hora/aula, em Paraíso o valor máximo é de R$14,47 e mínimo de R$13,06 por hora/aula, o município vizinho, Severínia, paga aos seus professores valor máximo de R$13,64 e mínima de R$12,63 e em Catanduva os mestres e mestras recebem R$17,28 (máximo) e mínimo de R$13,26 por hora/aula.

A cobrança para um reconhecimento salarial começou nesta semana após o descontentamento de um dos professores, a publicação aconteceu em sua rede social e foi apoiado por outros profissionais da categoria. ”É o pior salário de professor que já vi! E eu estava pensando em voltar a dar aula aqui...” disse um dos internautas.

Outra munícipe disse “acho que se fossemos nomear esses valores poderíamos chamar de desrespeito a educação e a população. Alguma coisa tem que ser feita”.

Em junho, conforme publicado aqui no Blog Cajobi, o Índice Firjan de Desenvolvimento Municipal (IFDM), divulgado pela Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (Firjan), colocou a educação de Cajobi entre as 100 melhores do Brasil, com números superiores a 0,800 pontos, o município ficou acima do esperado e compõe a categoria de “Alto Desenvolvimento” na educação. 

A equipe de reportagem do Blog Cajobi entrou em contato com a assessoria de imprensa da Prefeitura e não teve, até o fechamento dessa matéria, a sua pergunta respondida de forma oficial, entretanto, na tarde desta quarta-feira (24), em seu site oficial, a Prefeitura disse que a “Secretária de Educação e as Diretoras das Escolas da Rede Pública Municipal, em reunião realizada mensalmente para avaliar os meses anteriores e propor novas diretrizes para os próximos, foi acrescentada à pauta a questão do salário referência proposto no processo seletivo em andamento.”

Na nota divulgada, a Prefeitura cita que “a receita municipal é baixa e o salário base adotado corresponde aos recursos repassados pelo governo. Estamos no limite, qualquer aumento nas despesas com a folha de pagamento pode acarretar maiores dificuldades. O valor oferecido no piso, leva em consideração o limite com gasto de pessoal imposto pela Lei de Responsabilidade Fiscal.”

Vale lembrar que o município de Embaúba, com o número de habitantes duas vezes menor em comparação ao município de Cajobi, colocou no Processo Seletivo 02/2017 (último divulgado) o valor de R$12,12 por hora/aula aos seus professores.

A nota ainda continua “a Secretaria de Educação enfrenta vários problemas no que diz respeito a folha de pagamento, entre eles podemos citar: o pagamento do 14ª salário; professores conveniados com o Estado, ao qual o município devolve o salário; a presença de especialistas de PFII de Educação Física, Inglês e Artes desde a creche até o 9º ano; 15 Professores Adjunto (substitutos – tanto pra PFI quanto” (obs: a nota termina desse jeito, sem os demais detalhes).

As inscrições para o Processo Seletivo em Cajobi já foram encerradas e as provas objetivas serão aplicadas no dia 10/11/2018.

Postar um comentário

0 Comentários