Breaking News

Main Ad

Bispo de Barretos defende voto consciente e alerta para notícias falsas nas eleições 2018

Bispo de Barretos defende voto consciente e alerta para notícias falsas nas eleições 2018

Dom Milton Kenan Júnior divulgou mensagem sobre as eleições e defendeu a importância do voto consciente. O bispo ressaltou que o eleitor deve ficar atento às propostas dos candidatos e também às chamadas fake news – notícias falsas - durante a campanha. A seguir, a íntegra da circular do bispo.

Prezados irmãos e irmãs,

Durante este mês de setembro a atenção do povo brasileiro está concentrada nas Eleições Federais e Estaduais que se realizarão no início do mês de outubro. Mais uma vez teremos a oportunidade de escolher aqueles que representarão a nação e os Estados, seja no Poder Executivo como no Poder Legislativo; ou seja, presidente e vice- presidente do país, e governador e vice-governador estaduais; senadores e deputados federais e estaduais.

Quero aproveitar a circular deste mês para falar da importância de acompanharmos o processo eleitoral que nosso país vive com as campanhas já nas ruas em busca de votos.

Antes de tudo quero chamar a atenção para a Nota da CNBB “Eleições de 2018: compromisso e esperança” em que se afirma: as eleições de 2018 têm sentido particularmente importante e promissor. Elas devem garantir o fortalecimento da democracia e o exercício da cidadania da população brasileira. Constituem-se, na atual conjuntura, num passo importante para que o Brasil reafirme a normalidade democrática, supere a crise institucional vigente, garanta a independência e a autonomia dos três poderes constituídos – Executivo, Legislativo e Judiciário – e evite o risco de judicialização da política e de politização da Justiça. É imperativo assegurar que as eleições sejam realizadas dentro dos princípios democráticos e éticos para que se restabeleçam a confiança e a esperança tão abaladas do povo brasileiro. O bem maior do País, para além de ideologias e interesses particulares, deve conduzir a consciência e o coração tanto de candidatos, quanto de eleitores”.

A partir desta declaração, creio importante frisar que o uso de influência de políticos que atuam em esferas mais altas para subornar prefeitos e vereadores (como seus cabos eleitorais) é uma ameaça grave à democracia.

Precisamos estar atentos às propostas dos candidatos para distinguir entre quem busca preservar a democracia e quem propõe regimes diferentes. Neste aspecto torna-se preocupante o discurso de ódio e de mútua intolerância que se instaurou nestes últimos tempos entre partidos e candidatos. Será importante valorizar a convivência democrática, o respeito pelo outro, a tolerância do sadio pluralismo promovendo o debate político com serenidade.

No processo eleitoral que estamos vivendo será muito importante estarmos atentos às falsas informações conhecidas como Fake News. É preciso estar atentos às fontes e termos o cuidado de não passar adiante uma informação se não temos certeza sobre ela.

Da mesma forma acompanhando as propostas dos partidos e candidatos será importante saber da vida e da trajetória do candidato: quem são os que o apoiam, se já exerceu mandato político, quais foram suas escolhas, como atuou diante do escândalo da corrupção nestes últimos anos, se usa a religião para se promover, se é democrático, se respeita as diversidades e a participação das pessoas, se é uma pessoa de paz e de diálogo.

O Papa Francisco dirigindo-se aos políticos latino-americanos em dezembro de 2017 dizia: “Há necessidade de dirigentes políticos que vivam com paixão seu serviço aos povos, solidários com os seus sofrimentos e esperanças; políticos que anteponham o bem comum aos seus interesses privados, que sejam abertos a ouvir e a aprender no diálogo democrático, que conjuguem a busca da justiça com a misericórdia e a reconciliação”.

Na Exortação apostólica Evangelii Gaudium, referindo-se à importância dos cristãos participarem do processo democrático, o papa dizia que “uma fé autêntica – que nunca é cômoda nem individualista – comporta sempre um desejo de mudar o mundo, transmitir valores, deixar a terra um pouco melhor depois da nossa passagem por ela” (n. 183).

Mais uma vez teremos a oportunidade de exercer nossa cidadania através da escolha daqueles e daquelas que irão dirigir nossa nação. Que o façamos de modo responsável, conscientes de que a democracia se torna realidade quando os cidadãos e cidadãs exercem com responsabilidade o direito de escolher seus governantes, dispostos a acompanhar seus mandatos e exigir deles ética no cumprimento de sua missão, pois da sua missão depende o bem-estar de todos os cidadãos.

Deus nos abençoe e nos ilumine!

Dom Milton Kenan Júnior
Bispo Diocesano de Barretos

Postar um comentário

0 Comentários