Breaking News

Main Ad

Médico da Santa Casa de Cajobi erra no diagnóstico de uma criança de 4 anos

Um médico da Santa Casa de Cajobi errou no diagnóstico de uma criança de 4 anos ao prescrever um antibiótico para uma “possível” dor na garganta sendo que a paciente estava com uma fratura na clavícula.

Tudo aconteceu na madrugada de sábado, 3,  quando a criança de apenas 4 anos caiu da cama aonde dormia com a sua mãe, desesperada pelos gritos e dores que a criança vinha sentido após a queda, a mãe, que paga plano de saúde, resolveu levar a filha ate a Santa Casa de Cajobi por ser mais próximo. Segundo o relato, ao ser atendida pelo médico a mãe disse que a filha colocava a mão sobre a clavícula, mas por ter pouca idade a criança reclamava de dor na garganta. Mesmo dizendo que a sua filha poderia ter machucado a clavícula, o medico pediu para uma enfermeira segurar os braços da paciente, mas ela ergueu, para ver a “garganta” e logo em seguida a mãe questionou a atitude: “Se você erguer os braços dela e ela estiver com alguma fratura, vai piorar”.



Após o exame, o médico receitou Amoxilina e uma injeção para dor. Insistente, a mãe pediu um raio-x, o médico então fez um encaminhamento para o dia seguinte ás 9h00. Inconformada, a mãe se recusou a fazer o que foi receitado, pois ainda acreditava que fosse uma possível fratura e que não poderia esperar até o dia seguinte, sendo assim, a mãe resolveu levar a filha até um hospital particular em Olímpia que em poucos minutos diagnosticou a fratura. O Blog Cajobi conversou com a mãe da paciente que disse, “agora toda vez que eu precisar correr com a minha filha terá que ir pra Olímpia? Como Assim?”.



“Mesmo tendo plano de saúde, ninguém aqui poderá nos dar suporte? Não podemos continuar assim. Eu pago plano de saúde, mas quem não pode pagar? O filho de quem não pode pagar iria sofrer com dores até o dia seguinte? Sem ao menos um raio-X?” disse a responsável pela criança.

“O caso da minha filha poderia ter um final mais grave, o jeito que ela ergueu os braços poderia ter agravado a fratura. Isso precisa ser mudado. As pessoas não podem se calar quando se trata de saúde pública”, concluiu.

A criança passa bem. Até o momento a Santa Casa de Cajobi não comentou sobre o caso.

Na publicação nas redes sociais, várias pessoas comentaram inúmeros acontecimentos pessoais sobre casos de erros médicos nos primeiros atendimentos na Santa Casa de Cajobi. Veja alguns:

“Já passei por isso. O médico disse que a minha filha estava com infecção de ouvido, mas também sabia que não era e levei-a ao pronto atendimento da Unimed e era estomatite, nada a ver. Como pode.”

“É, sei bem o que é isso, ficar cinco dias com o apêndice estuporados e ser tratada por virose, não é fácil não!”

“Depois que minha filha foi diagnosticada com amigdalite sem ter amígdala aqui na Santa Casa de Cajobi é de se esperar qualquer coisa!”

Confira na íntegra o relato da mãe da paciente publicado nas redes sociais:
Plano de saúde não é luxo! Acabo de ter certeza perante o que passei com minha filha na madrugada de sexta para sábado. Vamos aos fatos: Minha filha divide a cama comigo, e depois de 4 anos, caiu da cama. Acordou aos gritos dizendo que doía a "garganta". Porém colocava a mão no pescoço próximo a clavícula. E eu como mãe diante do desespero ao ver minha filha com dor, não pensei 2x e corri com ela para a Santa Casa de Cajobi. (Pago Unimed SIM, porém vendo minha filha gritar de dor, resolvi levar ela aqui mesmo pois era mais perto e uma mãe qdo vê um filho gritando de dor, corre ao lugar que possa socorrer mais rápido seu filho). Chegando lá, já me deparei com a cara de bosta da enfermeira que estava fazendo a ficha. (Será que ela estava ali de favor? Será que ela trabalha de graça? Ou será que a cara de bosta foi pq interrompi ela que mexia no celular?). Enfim, o médico nos atendeu,contei o ocorrido e falei que eu achava que era a clavícula. Ele então chama a tal enfermeira para segurar minha filha para olhar a garganta dela, pois segundo ele, não era a clavícula. A enfermeira entrou e segurou os dois braços da minha filha pra cima. Aí eu questionei: "se vc erguer os braços dela e ela estiver com alguma fratura..vai piorar". Até pq eu nunca vi ter que erguer os braços de uma criança pra cima para olhar a garganta. Daí o médico receitou AMOXICILINA, pois segundo ele, era a garganta. (Eu sem nenhuma formação médica, sabia que não era). Receitou tbm injeção para dor e depois que eu insisti passou raio x para o dia seguinte as 9h. Me recusei a fazer a medicação passada, assinei o termo que a "simpática" enfermeira me pediu pra assinar. Saí dali e fui com minha filha para Olímpia no Pronto atendimento da Unimed. Passei ela no pediatra de plantão que imediatamente pediu raio x, pois só de olhar viu que era Fratura de clavícula. Em 40 minutos já tínhamos o resultado em mãos. Sim, fratura de clavícula! E minha vontade diante disso era trazer o raio x e esfregar na cara do médico e da enfermeira que puxou os braços da minha filha pra cima. Sorte a dela ter sido uma fratura "simples", pois se tivesse tido alguma complicação, eu já saberia de quem foi a "irresponsabilidade". Uma pena! Pois nossa Santa Casa merecia pessoas mais capacitadas, com mais amor a profissão e mais amor ao próximo. Fica aqui minha indignação diante dessas pessoas que acham que estão lá nos fazendo um favor. Se não está feliz com a profissão que tem..saia! Só não merecemos diante do desespero ser tratada com frieza e cara de merda. Pronto, falei!


Repito: plano de saúde não é luxo, diante da incompetência de alguns!. Fico pensando nas crianças que não têm plano de saúde, que judiação!

Postar um comentário

0 Comentários