Cajobi

[Cajobi][list]

Polícia

[Polícia][twocolumns]

Eduardo Heitor: O Fake que abalou a política Cajobiense

Eduardo Heitor: O Fake que abalou a política Cajobiense
Foto: Jean Morelli

A cada segundo, 18 pessoas ao redor do mundo são vítimas de algum tipo de crime pela internet, totalizando 1,5 milhões de casos todos os dias, com prejuízos que podem chegar à casa dos bilhões de dólares. São delitos que vão de ameaças, difamação, injúrias e calúnias a roubo de dados pessoais, estelionato e fraudes financeiras. Não é de hoje que os ‘fakes’ atacam nas redes sociais, mas o caso que aconteceu neste último final de semana em Cajobi pode-se dizer que, chamou à atenção de todos.

O que é um Fake?

Fake é uma palavra da língua inglesa que significa falso ou falsificação. Pode ser uma pessoa, um objeto ou qualquer ato que não seja autêntico.
Com as redes sociais, o termo passou a ser muito utilizado para designar uma conta na internet ou o perfil em uma rede social de alguém que pretende ocultar a verdadeira identidade.
Eduardo Heitor: O Fake que abalou a política Cajobiense

O fake, Eduardo Heitor, entrou na rede social, facebook, apoiando a antiga administração. Ele apontava erros da atual e divulgava pontos positivos do governo anterior, mas, neste fim de semana ele se rebelou divulgando prints (fotos da tela do computador), onde divulgava possíveis mensagens, dos seus aliados, que eram enviadas para ele via inbox (mensagens privadas).

Entre as conversas divulgadas pelo fake, algumas chamaram à atenção, entre elas, uma mensagem do atual Diretor da Câmara Municipal onde foi citadas palavras em relação à injúria racial contra o vereador e atual presidente do legislativo, Balinha. Na mesma mensagem o ‘fake’ é chamado de “Júnior”, sendo assim, houve uma especulação entre os próprios amigos do Heitor que o tal de “Júnior” era o atual vereador Gilberto Domingues Júnior.

Em nota, o vereador Gilberto Domingues Júnior (PV), disse: "O que se viu em seguida foram pessoas fazendo acusações contra o vereador Gilberto Domingues Junior que seria o suposto Fake. Mesmo sem provas, pessoas conhecidas da sociedade fizeram seu veredicto sem qualquer chance de defesa, demonstrando ser um verdadeiro ataque político para "queimar" a imagem do vereador. O vereador Gilberto Domingues Junior fez um Boletim de Ocorrência relatando todas as calúnias e injúrias recebidas e segundo o mesmo irá esgotar todas as vias judiciais possíveis para condenar os caluniadores."

Eduardo Heitor: O Fake que abalou a política Cajobiense
Foto: Jean Morelli

Na 850ª sessão da Câmara, que ocorreu no dia 01/03/17, foi lançada uma nota de esclarecimento e repúdio sobre o assunto da propagação da sessão de número 849, que aconteceu no dia 15/02/17 e sobre o ato vinculado nas redes sociais, além de afirmarem que na casa legislativa não há lado político. A mensagem foi lida pelo vereador Torresmo, em nome dos seus colegas Balinha, Fábio Domingues, Gilberto Domingues e Wilsinho.

Leia a nota na íntegra:

” Boa noite. Gostaria de fazer alguns esclarecimentos em nome dos cinco vereadores, EU, ANDERSON CRISTIANO DE MORAES (BALINHA), FABIO DOMINGUES, GILBERTO DOMINGUES E WILSINHO.

Após a última sessão, realizada no dia 15/02/2017, muitas pessoas má intencionadas quiseram propagar falsas notícias em relação às decisões tomadas por nos referente aos projetos encaminhados pelo Chefe do Executivo.

Deixamos claro a toda população de Cajobi e Monte Verde que os Vereadores acima citados vão ser a favor de TODOS os projetos encaminhados a esta Casa de Leis, DESDE que sejam CONSTITUCIONAIS, LEGAIS E MORAIS!!!!

Informamos também que aqui não existe divisão partidária, mas sim formas de pensar e agir, que muitas vezes podem divergir dos demais companheiros. Neste sentido RESSALTAMOS que tudo que for certo e bom para a população de nossa cidade será Aprovado como foi na última sessão, cito alguns exemplos: Projeto referente às Casas Populares, Refis – Isenção de imposto aos munícipes, entre outros....

Por fim, esses mesmo vereadores que aqui subscrevem deixa sua nota de repúdio contra os atos vinculados através da rede social, Facebook, no qual demonstrou ser totalmente de cunho político, agredindo a imagem e a honra do nosso Presidente da Câmara, como também do nosso colega, Dr. Saulo Geraldo e ao colega de mesa, vereador Gilberto Domingues Junior, deixamos aqui nosso voto de confiança aos nossos colegas e já alertamos aos adversários políticos que pretendem criar a discórdia entre amigos vereadores que JAMAIS irão conseguir!!!

A nossa cidade não aguenta mais esta velha política de ataques pessoais sem provas com intuito de denegrir imagem de pessoas do bem e que querem simplesmente fazer o correto para a nossa cidade. Nosso povo não aceita mais este tipo de comportamento político dos nosso representantes.

Seria importante que o nosso Prefeito Gustavo fizesse uma nota de esclarecimento explicando os motivos que está levando os funcionários de confiança dele a realizar repetidos ataques e acusações sem provas. Não é possível que o nosso Prefeito Gustavo, sendo ele advogado, possa permitir que os seus funcionários de confiança propagem acusações sem provas. Funcionários esses que sentam do seu lado. Não é possível que nosso Prefeito permita e fique omisso com tais acusações sem provas e ainda permaneça do lado destas pessoas.

Enfim, deixamos consignado que nós vereadores somos os legítimos representantes do povo e não vamos dar lado para esse tipo de política que em nada contribui para o desenvolvimento e progresso de Cajobi.

SOMOS TODOS UNIDOS POR CAJOBI !!!!

Por fim Sr. presidente gostaríamos de requerer a transcrição deste em ata.

Um grande abraço a todos!

RENATO MARTINS SILVA

ANDERSON CRISTIANO DE MORAES

FABIO DOMINGUES DE OLIVERA

GILBERTO DOMINGUES JUNIOR

WILSON MAITELO DINIZ

Cajobi 01 de março de 2.017”




No dia 02/03/17, a Prefeitura Municipal lançou um posicionamento no seu site oficial.

Leia na íntegra:

"Democracia significa governo do povo, é um sistema em que as pessoas de um país podem participar da vida política. Esta participação pode ocorrer através de eleições, plebiscitos e referendos. Dentro de uma democracia, as pessoas possuem liberdade de expressão e manifestações de suas opiniões.

Entendo que a facilidade de obter informações e a rapidez com elas chegam até nós, hoje, é algo benéfico e saudável para o progresso social. Entendo também, que devemos utilizar todo e qualquer meio de comunicação com responsabilidade.

A Constituição garante a todos a liberdade de expressão, o que implica em sermos nós os únicos responsáveis por tudo o que fazemos, falamos ou escrevemos em qualquer veículo de comunicação.

Talvez, por inabilidade ou falta de intimidade com a escrita (jornal, revistas e facebook) ou oral (rádio e televisão), lemos e ouvimos opiniões equivocadas, muitas vezes se comete excessos, que criam situações constrangedoras entre as pessoas. Quando isso ocorre, as divergências de opiniões acabam por criar entraves no redimensionamento social e político.

Acredito que antes e acima de tudo, a sociedade só produzirá frutos saudáveis, quando essa for coesa e sólida e voltada para um único fim: O PROGRESSO. A união e o fortalecimento entre os indivíduos que compõem a sociedade são fundamentais para atingirmos esse fim.

Por isso acredito que o progresso social esperado em nossa cidade só será possível com o diálogo e compreensão entre todos os cidadãos.

Creio que o primeiro passo deve ser dado pelo individuo que faz uso de qualquer meio de comunicação, sendo consigo responsável e critico.

Nos últimos anos temos presenciado em nossa cidade, embates desnecessários e improdutivos que não levam a nada, a não ser gerar rancores. É necessário e urgente colocarmos um ponto final nessa situação.

Peço a todos que vivenciem a verdadeira Democracia por atos e palavras.

Nós, prefeito, secretários e servidores públicos estamos aberto ao diálogo, a porta do gabinete está e sempre esteve aberta a todos, para receber críticas e sugestões, para o bem comum de nossa cidade."


Eduardo Heitor: O Fake que abalou a política Cajobiense
Foto: Jean Morelli


O que ocorreu na sessão do dia 15/02?

A penúltima sessão foi marcada por acirramento nas votações do parecer da Comissão de Constituição, redação e justiça apresentados naquela noite. A maioria, por sua vez, teve que ser desempatada pelo presidente da Câmara, o Balinha, que reprovou todos os pareceres decididos por votação única. Sendo assim, houve a circulação de que, os vereadores que foram da oposição na época da eleição, estariam “atrapalhando” o trabalho e andamento da atual administração. Vale ressaltar que, pela primeira vez na história do município, a maioria dos vereadores na Câmara não pertencia à mesma chapa do Prefeito eleito durante as eleições.

O que é e como funciona a Comissão de Constituição, redação e justiça?

A comissão de constituição, redação e justiça, obrigatória em todas as casas legislativas, tem o papel de identificar, na fase de instrução, se o projeto de lei atende, quanto ao seu conteúdo e quanto a sua forma, os requisitos constitucionais para a sua tramitação. Se a comissão de constituição, redação e justiça manifestar-se favoravelmente, o projeto de lei segue a sua instrução junto às demais comissões, conforme o critério de identidade de matéria, ou seja, se ele gera despesa, é encaminhado para a comissão de orçamento; se ele trata de assunto relacionado à saúde pública, vai para a comissão de saúde e assim por diante. Se, contudo, a comissão de legislação manifestar-se pela inconstitucionalidade do projeto de lei, sua instrução é suspensa, e o parecer é colocado em discussão especial na ordem do dia da primeira sessão plenária subsequente, para confirmação. Se o plenário da câmara confirmar o parecer da comissão de constituição e justiça, pela inconstitucionalidade do projeto de lei, a matéria é arquivada; se o plenário da câmara rejeitar o parecer da comissão de constituição e justiça, pela inconstitucionalidade da matéria, o projeto de lei retorna para a fase de instrução e segue para as comissões respectivas.
Leia o que foi aprovado e reprovado na sessão nº849:

Projeto de Lei nº 001/2017, do Poder Executivo – que dispõe sobre “Autorização para uso de veículo particular”.

Votação - Após leitura em plenário do Relator da Comissão de Constituição, Justiça e Redação, vereador Gilberto Domingues Júnior (PV), com o parecer desfavorável da Comissão sobre o do projeto de Lei, o mesmo foi colocado em votação única pelo Presidente vereador Anderson Cristiano de Moraes(PSB), sendo decidido por cinco votos a quatro, a ilegalidade/inconstitucionalidade do projeto de Lei nº001/2017, do Poder Executivo - no qual deverá ser arquivado de acordo com o parágrafo único do Artigo 84 do Regimento Interno da Câmara Municipal de Cajobi.

Projeto de Lei nº 002/2017, do Poder Executivo – que “Dispõe sobre autorização para uso de veículo da prefeitura do município e Cajobi pelo Serviço Autônomo de Água e Esgoto e Meio Ambiente do município de Cajobi (SEMAE/Ambiental), e dá outras providências.

Votação - Após leitura em plenário do Secretário vereador Renato Martins da Silva (PT), o projeto foi colocado em votação pelo Presidente vereador Anderson Cristiano de Moraes(PSB) e por oito votos favoráveis e nenhum contrário, foi aprovado.

Projeto de Lei nº 003/2017, do Poder Executivo – que “Dispõe sobre crédito adicional especial no orçamento de 2017”.

Votação - Após leitura em plenário do Secretário vereador Renato Martins da Silva (PT), o projeto foi colocado em votação pelo Presidente vereador Anderson Cristiano de Moraes(PSB) e por oito votos favoráveis e nenhum contrário, foi aprovado.

Projeto de Lei nº 005/2017, do Poder Executivo – que dispõe sobre “Autorização a alienação de imóvel que específica, por doação à Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbana do Estado de São Paulo –CDHU”.

Votação - Após leitura em plenário do Secretário vereador Renato Martins da Silva (PT), o projeto foi colocado em votação pelo Presidente vereador Anderson Cristiano de Moraes(PSB) e por oito votos favoráveis e nenhum contrário, foi aprovado.

Projeto de Lei Complementar nº 001/2017, do Poder Executivo – que dispõe sobre “Altera a Lei Complementar nº 112, de 21 de outubro de 2016, que dispõe sobre as atribuições de funções aos cargos públicos em provimento efetivo e em comissão integrantes do quadro de pessoal do município de Cajobi e dá outras providências”.

Votação - Após leitura em plenário do Relator da Comissão de Constituição, Justiça e Redação, vereador Gilberto Domingues Júnior (PV), com o parecer desfavorável da Comissão sobre o projeto de Lei Complementar, o mesmo foi colocado em votação única pelo Presidente vereador Anderson Cristiano de Moraes(PSB), sendo decidido por cinco votos a quatro, a ilegalidade/inconstitucionalidade do projeto de Lei Complementar nº001/2017, do Poder Executivo - no qual deverá ser arquivado de acordo com o parágrafo único do Artigo 84 do Regimento Interno da Câmara Municipal de Cajobi.

Projeto de Lei Complementar nº 002/2017, do Poder Executivo – que dispõe sobre “Institui o programa de recuperação de tributo –REFIS e dá outras providências”.

Votação - Após leitura em plenário do Secretário vereador Renato Martins da Silva (PT), o projeto foi colocado em votação pelo Presidente vereador Anderson Cristiano de Moraes(PSB) e por oito votos favoráveis e nenhum contrário, foi aprovado.

Projeto de Lei Complementar nº 003/2017, do Poder Executivo
– que dispõe sobre “Cria vagas para o cargo de Assessor Jurídico e dá outras providências”.

Votação - Após leitura em plenário do Relator da Comissão de Constituição, Justiça e Redação, vereador Gilberto Domingues Júnior (PV), com o parecer desfavorável da Comissão sobre o projeto de Lei Complementar, o mesmo foi colocado em votação única pelo Presidente vereador Anderson Cristiano de Moraes(PSB), sendo decidido por cinco votos a quatro, a ilegalidade/inconstitucionalidade do projeto de Lei Complementar nº003/2017, do Poder Executivo - no qual deverá ser arquivado de acordo com o parágrafo único do Artigo 84 do Regimento Interno da Câmara Municipal de Cajobi.

Projeto de Lei Complementar nº 004/2017, do Poder Executivo – que dispõe sobre “Cria cargos em comissão de coordenador da vigilância sanitária e coordenador de estratégia da família do município de Cajobi e dá outras providências”.

Votação - Após leitura em plenário do Relator da Comissão de Constituição, Justiça e Redação, vereador Gilberto Domingues Júnior (PV), com o parecer desfavorável da Comissão sobre o projeto de Lei Complementar, o mesmo foi colocado em votação única pelo Presidente vereador Anderson Cristiano de Moraes(PSB), sendo decidido por cinco votos a quatro, a ilegalidade/inconstitucionalidade do projeto de Lei Complementar nº004/2017, do Poder Executivo - no qual deverá ser arquivado de acordo com o parágrafo único do Artigo 84 do Regimento Interno da Câmara Municipal de Cajobi.

Projeto de Lei Complementar nº 006/2017, do Poder Executivo – que dispõe sobre “Cria cargo em comissão de coordenador do departamento de meio ambiente e desenvolvimento sustentável junto ao serviço autônomo de água, esgoto e meio ambiente do município de Cajobi –SEMAE/Ambiental e dá outras providências”.

Votação - Após leitura em plenário do Relator da Comissão de Constituição, Justiça e Redação, vereador Gilberto Domingues Júnior (PV), com o parecer desfavorável da Comissão sobre o projeto de Lei Complementar, o mesmo foi colocado em votação única pelo Presidente vereador Anderson Cristiano de Moraes(PSB), sendo decidido por cinco votos a quatro, a ilegalidade/inconstitucionalidade do projeto de Lei Complementar nº006/2017, do Poder Executivo - no qual deverá ser arquivado de acordo com o parágrafo único do Artigo 84 do Regimento Interno da Câmara Municipal de Cajobi.

Eduardo Heitor: O Fake que abalou a política Cajobiense
Foto: Jean Morelli

O Diretor da Câmara Municipal, Saulo Geraldo, publicou uma nota em sua conta pessoal: 

"Pessoal, gostaria de esclarecer a todos os amigos desta rede social que NÃO sou o Autor da mensagem compartilhada no "Fake" Eduardo Heitor, foi feita uma montagem com o meu nome para fins Políticos!

Esclareço que sou contra qualquer ato de racismo/ injúria racial, antes mesmo de ser advogado já sabia que isso é CRIME.

Em relação ao Fake, sei que descobrir o I.P e identificar o responsável não será algo tão simples, porém irei procurar os meios judiciais para punir o infrator e responsabilizar os demais que compartilharam e curtiram algo INVERÍDICO."

Poucos dias depois da divulgação das possíveis conversas, a conta do fake, Eduardo Heitor, no facebook , saiu do ar. Os envolvidos nos “prints”, divulgados pelo fake, fizeram um Boletim de Ocorrência na Policia Civil e requereram uma Investigação Especializada em Crimes Cibernéticos para identificar o autor do fake.

A Liberdade de expressão é o direito de qualquer indivíduo manifestar, livremente, opiniões, ideias e pensamentos pessoais sem medo de retaliação ou censura por parte do governo ou de outros membros da sociedade. É um conceito fundamental nas democracias modernas nas quais a censura não tem respaldo moral. Mas lembre-se, use a sua rede social com responsabilidade e não propague o mal.
Jean Morelli

Apaixonado por notícias, filmes e séries. Sou blogueiro desde 2011, amante do jornalismo, flamenguista de coração e cajobiense desde sempre.

Postar um comentário
  • Blogger Comente usando Blogger
  • Facebook Comente usando Facebook
  • Disqus Comente usando Disqus

Nenhum comentário :


Política

[Politica][bleft]

Cidades

[Cidades][threecolumns]

Esporte

[Esporte][grids]

Geral

[Geral][bsummary]