Cajobi

[Cajobi][list]

Polícia

[Polícia][twocolumns]

Catanduvenses gastam quase R$ 1 bi para manutenção do lar


Catanduvenses gastam quase R$ 1 bi para manutenção do lar


Mais de R$ 899 milhões são gastos só para a manutenção do lar em Catanduva - é o que aponta o IPC Maps que traz a geografia atualizada do potencial de consumo brasileiro. Apesar de ainda sentirmos os efeitos da crise financeira, o valor de 2016 é 8,5% maior do que o visto em 2015 em que o gasto para a manutenção do lar chegava R$ 828 milhões. No comparativo com 2010 o aumento no consumo só com a casa do catanduvense passa dos 17%. Isso porque na época eram R$ 762 milhões só para manter o lar.


Entre as classes sociais, a B é a que mais gasta com a manutenção do lar, conforme aponta o estudo. Só neste ano o potencial de consumo com esse setor chega a R$ 384 milhões. A segunda é a classe C com 342 milhões e a terceira as D e E (R$ 100 milhões). A que tem o menor gasto é a A com R$ 71, 6 milhões. Entre os 22 itens, a manutenção do lar é a que lidera o consumo em disparado. 



Na sequência do ranking estão outras despesas que não foram especificadas. Os gastos chegam a R$ 588 milhões em Catanduva. No potencial de consumo por classe social, a classe B é a que lidera, com R$ 318 milhões, seguida da classe C (R$ 142 milhões) e da A com R$ 102 milhões. As D e E concentram R$ 26 milhões do potencial de consumo.



O terceiro setor com maior gasto em Catanduva neste ano é a alimentação no domicílio com R$ 351 milhões. A classe C ficou com a maior fatia com R$ 154 milhões consumidos nesse setor. Na sequência está a classe B (R$ 135 milhões) e as D e E (R$ 43,2 milhões). Já a classe A fica com o potencial de consumo de R$ 18 milhões.



O quarto setor em que o dinheiro do catanduvense deve ser mais investido é a alimentação fora do domicílio que soma R$ 200 milhões no total. A classe B é a que mais procura por esse tipo de consumo com R$ 94,1 milhões na sequência está a C com R$ 70 milhões gastos com alimentação fora de casa. A terceira com maior consumo é a A com R$ 18 milhões e em quarto as D e E com R$ 16 milhões.


Menos com material escolar e outras peças do vestuário



Na contramão do alto consumo estão outros setores do ranking. É o caso do gasto com outras despesas com vestuário, que tem o menor consumo (R$ 5 milhões) em Catanduva. O valor foi puxado pela classe B (R$ 2,8 milhões), seguida da classe C (1,4 milhões) e da A (R$ 615 mil). As classes D e E são as que têm o menor potencial de consumo nesse setor chegando aos R$ 434 mil.
O segundo setor com menor potencial de consumo é o de livros e material escolar com R$ 13 milhões. Os valores foram puxados pelos gastos da classe B (R$ 6,8 milhões) seguida da classe C (R$ 3,9 milhões) e da A (R$ 1,6 milhões). As classes D e E ficaram com a menor fatia (R$ 835 mil).


O terceiro é o de artigos de limpeza com consumo que chega a R$ 19 milhões no total. Foram R$ 8,7 milhões para a classe C, R$ 7,2 milhões para a B, R$ 2,2 para as D e E de R$ 1,4 milhões para a A.





O Regional
Jean Morelli

Apaixonado por notícias, filmes e séries. Sou blogueiro desde 2011, amante do jornalismo, flamenguista de coração e cajobiense desde sempre.

Postar um comentário
  • Blogger Comente usando Blogger
  • Facebook Comente usando Facebook
  • Disqus Comente usando Disqus

Nenhum comentário :


Política

[Politica][bleft]

Cidades

[Cidades][threecolumns]

Esporte

[Esporte][grids]

Geral

[Geral][bsummary]