Breaking News

Main Ad

Prefeito anuncia cancelamento do carnaval de rua de Catanduva


Para Geraldo Vinholi, a meta agora é dar prioridade a Saúde e Educação



Prefeito anuncia cancelamento do carnaval de rua de Catanduva

O prefeito Geraldo Vinholi (PSDB) anunciou ontem o cancelamento do carnaval de rua de Catanduva. O motivo, segundo ele, é que depois de reuniões realizadas constatou que o gasto não seria baixo e decidiu dar prioridades para saúde e educação, temendo queda nos repasses financeiros por parte dos Governos Federal e Estadual. 


Conforme Vinholi, o carnaval de rua da cidade iria ter um gasto de aproximadamente R$ 1,2 milhão. “ Sabemos que a cidade atrai muitas pessoas de toda a região. E não teríamos como economizar muito para fazer a festa. A principio pensamos em fazer apenas três dias de carnaval, mas para não fazer bem feito, preferimos não fazer e pensar na possibilidade a partir do ano que vem”, comentou. 



“Carnaval não dá para encurtar muito. Além disso, não valeria gastar com a festa e futuramente, não ter uma grande arrecadação e chegar no final do ano com maiores dificuldades”, complementou. 



Para justificar o cancelamento do carnaval Vinholi comentou sobre as prioridades principalmente nesse início do ano. Uma delas é a situação da dengue que se alastra no município, com a contratação emergencial de mais funcionários e o início de um laboratório na Unidade de Pronto Atendimento. 



“Desde agosto estamos colocando a situação da atividade econômica do país, a queda nos repasses e tomamos uma série de medidas para chegarmos no final do ano bem. Tivemos uma queda de R$ 10 milhões na arrecadação. Usamos do nosso orçamento cerca de R$ 1 milhão para pagarmos professores. 





Cumprimos todos os índices estabelecidos na Lei de Responsabilidade Fiscal. Na educação utilizamos cerca de 30% do orçamento, na saúde superamos os 25%”, citou. 



Vinholi pontuou ainda os planos de metas estabelecidos e falou sobre a situação atual do país. “Não sabemos como vai ficar o comportamento do orçamento da União e do Estado. Isso quer dizer que nessa instabilidade não temos previsão dos repasses. Tivemos cortes e ajustes no orçamento que é só o início. O maior corte será na educação e estamos mantendo uma situação de pé no chão”. 



Vinholi argumentou que teria, sim, o dinheiro para a realização do carnaval. “Temos ainda pouco mais de R$ 6 milhões em caixa e um pouco de restos a pagar. Mas ainda estamos vivendo um momento de baixa arrecadação e desde o ano passado tivemos o cuidado. Não fizemos a festa na Virada do Ano e economizamos o máximo possível para o Natal. Agora temos a situação da dengue, vamos colocar em breve sete novas creches em funcionamento e isso também vai gerar mais despesas de manutenção e pagamento de salários e finalmente regularizamos a distribuição de remédios nos postos de saúde”, informou. 



Ele relembrou ainda que pode ser que a Prefeitura tenha de arcar com o término da obra da Escola Infantil no Agudo Romão. “A obra esta parada porque o Governo Federal não deposita o dinheiro. Pode ser que seja preciso colocar dinheiro da Prefeitura”. 



E por fim, o prefeito complementa citando outros municípios que também não realizarão carnaval de rua. “Araçatuba, Votuporanga, Barretos, Olímpia e Ibirá não terão carnaval”. 



Ainda segundo prefeito, a Secretaria de Cultura tinha iniciado os procedimentos para os concursos Rainha e Rei Momo do Carnaval e a Musa Gay, no entanto, com a decisão de cancelar a festa, não haverá os concursos.





O Regional

Postar um comentário

0 Comentários