Breaking News

Main Ad

Cidades de SP podem registrar toda a chuva de novembro em apenas sete dias

O cenário mudou e agora a chuva é quem ficará cada vez mais frequente e volumosa na região sudeste do Brasil ao longo desta semana.

Bebedouro chuva
Além da constante propagação de calor e umidade da Amazônia, com o mecanismo sinótico chamado de Jato de Baixos Níveis (JBN), áreas alongadas de baixa pressão atmosférica (cavados) devem contribuir para a manutenção do quadro de tempo instável, além de um sistema frontal que avança a partir da Argentina.

As simulações numéricas indicam que ao longo dos próximos sete dias, ou seja, pelo menos até segunda-feira (10), o índice pluviométrico acumulado em várias cidades de São Paulo possa superar a média climatológica (período de base de dados entre 1961-1990) prevista para todo o mês de novembro. Em média, nesses estados, novembro costuma ter chuva variando entre 110 e 150 milímetros.

Para o território paulista, berço das atenções para a mais grave crise hídrica, onde 300 municípios enfrentam racionamento e/ou falta d’água para o consumo, a previsão é otimista.

Cidades das regiões de Presidente Prudente, Bebedouro, Assis, Marília, Ourinhos, Bauru, Avaré, Araraquara, Piracicaba, Campinas, Sorocaba, Itapeva e Botucatu podem receber volumes entre 75 e 150 mm, ou mais, em pontos delimitados.

A chuva, certamente, não será suficiente para reverter o dramático quadro de estiagem, pois o déficit hídrico em vários pontos supera 900 mm, mas já será um alívio, para, no mínimo, o retorno da umidade, aos poucos, ao solo rachado das represas que estão completamente secas.

Fonte: De Olho No Tempo

Postar um comentário

0 Comentários