Breaking News

Main Ad

Denit autoriza retirada de vagões de trem abandonados em Bebedouro

Foto: Paulo Souza // EPTV
O Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Denit) autorizou a retirada de vagões de trem abandonados na antiga estação ferroviária de Bebedouro (SP). Desativados desde o final da década de 1990, os carros são removidos por uma empresa de sucata de São Paulo (SP), vencedora de licitação para contratação do serviço. A América Latina Logística (ALL), concessionária da linha férrea e responsável pelos vagões, informou que deve substituir os trens. Um projeto de recuperação do trecho ferroviário também está previsto, mas depende de licença ambiental, de acordo com a concessionária.

A remoção dos trens fabricados na década de 1950 é uma reivindicação antiga dos moradores do município. Abandonado desde a desativação deles, o local se tornou foco de sujeira. Alguns vagões serviam como abrigo para moradores de rua e usuários de drogas. "Os vagões estavam todos obsoletos, não serviam mais para a empresa, para nada. Era praticamente um depósito de lixo na estação. Há vagões com sofás, camas, que eram usados por usuários de drogas. Com essa limpeza, pelo menos o pátio vai ter mais visão e vai ficar mais limpo", afirma Dione Rodrigues de Souza, presidente da Associação Bebedourense de Ferreomodelismo.

De acordo com o secretário de Cultura do município, Glauco Carvalho Correa, a Prefeitura já manifestou interesse pelo tombamento da estação. "Queremos trazer parcerias e projetos para cá. Utilizando esse espaço, a gente evita a depredação do meio público. É um prédio centenário, pelo qual prezamos, e por isso tentamos fazer a manutenção", afirma.Com a retirada dos vagões, a associação pretende revitalizar a estação ferroviária. No local, já existe um museu com objetos da época em que as composições transportavam cargas e passageiros. Além disso, o museu abriga seis vagões restaurados. "Temos um carro de passageiros, dois vagões que ficaram como depósito de maquetes, um guincho, uma plataforma e um vagão de madeira da década de 1930. São relíquias para as ferroviárias", diz.

Recuperação da linha

Em nota, a ALL -concessionária da linha férrea e responsável pelos vagões- informou que deve substituir os trens por novas composições a serem entregues à União até o final do contrato da concessão. A previsão é de que a remoção dos trens seja concluída até o final do mês. A concessionária informou ainda que existe a previsão de recuperação do trecho da ferrovia, mas que o projeto ainda depende de licença ambiental.

G1 // EPTV