Breaking News

Main Ad

Curta Metragem realizado em Monte Azul entra em fase de pré-estreia na mídia

A “Oficina de Produção Audiovisual Documental: Midialivrismo”, parte da ideia de que todo cidadão é multimídia, ou seja, qualquer pessoa pode produzir e compartilhar conteúdos a todo momento. O principal objetivo da oficina é estimular a produção e o consumo de produções midialivristas independentes, difundindo o debate e ampliando os meios de circulação da informação, desmonopolizando os meios de comunicação e tornando todas as pessoas protagonistas das historias contadas sobre sua realidade.

Durante a oficina realizada em Monte Azul Paulista, produzida com parceria entre Oficina Cândido Portinari e a Prefeitura Municipal, “debatemos muito sobre os novos rumos da comunicação no Brasil e discutimos como o midialivrismo se destaca nesse cenário de mudanças sociais e quebras de paradigmas” -, afirma Victor Yuri, orientador da oficina junto de Raíza Ferreira.

“Nas discussões para escolher como produziríamos o video (produto final) da oficina, muitos temas foram levantados e debatidos e o tema escolhido foi: a inclusão e os benefícios aos portadores necessidades especiais que o esporte promove” -, diz Raíza. “Daí surgiu a ideia de convidar o Márcio - que é reconhecido por todos como um ciclista dedicado - para participar do video; queríamos que ele fosse o protagonista da história a ser documentada” - , acrescenta.

Durante a produção os oficineiros optaram pelo debate não convencional sobre o tema, como o uso de entrevistas e documentários utilizados massivamente nos veículos de comunicação. “Queriamos algo diferente, um video que através de uma linguagem conceitual levantasse o questionamento sobre a inclusão de pessoas com necessidades especiais. Assim chegamos à ideia de fazer um documental artístico, um video que quisesse mais do que explicar o problema da inclusão; pretendíamos fazer um video que levasse o espectador a refletir sobre o assunto” -, afirmam Raíza e Victor.

Durante a produção do video, Márcio, o protagonista, se mostrou prestativo e engajado na produção. “Ele foi muito colaborativo. Compareceu aos sets na datas e horários corretos, repetiu cenas várias e váris vezes e se dedicou pra que tudo saísse dentro do esperado. Subiu algumas ladeiras, pedalou na pista (risos), fez tudo o que pôde pra contribuir com a produção. Foram momentos de muita troca de conhecimento, trocas de informações e construção coletiva. Todos se esforçando para que o resultado final fosse o melhor possível” -, afirmou Raíza.

Sobre experiência da oficineira em Monte Azul, ela ressalta que “o mais interessante de tudo foi a movimentação coletiva que se fez para a realização do video; todos se empoderaram da produção e se sentiram responsáveis pelo trabalho e pelo conteúdo que seria produzido. Os participantes que tinham equipamentos faziam questão de levá-los; sempre haviam dúvidas e propostas para a construção do projeto” -, ressaltou Raíza. “Foi estimulante ver as pessoas querendo trabalhar coletivamente e levantando um assunto de utilidade pública pautado no bem coletivo, isso mostra que é possível construir uma sociedade organizada e em sintonia com o nosso tempo” -, finaliza a professora.

O vídeo intitulado “Marcinho e a Bike” - com mais de minuto e meio de duração -, vai ao ar no dia 6 de abril pelo programa Fuligem no Ar, às 13h30, exibido ao vivo pelo canal 20, da NET. O programa pode ser assistido ao vivo também pela internet no www.canal20.com.br. O vídeo ficará disponível na internet no canal do programa e no acervo digital da Casa da Cultura Fábio Zucchi Rodas.