Breaking News

Main Ad

Construção da nova rodoviária de Rio Preto volta a provocar polêmica

A novela da construção do novo terminal rodoviário de São José do Rio Preto (SP) ganhou um novo capítulo nesta terça-feira (13). A discussão já se arrasta há anos e, desde 2005, a administração pública tenta tirar a rodoviária do centro para um local maior e de fácil acesso.

Pelo menos cinco pontos da cidade já foram cogitados, mas o projeto ainda não saiu do papel e já foi rejeitado diversas vezes pelos vereadores. A polêmica agora é sobre o novo espaço escolhido no bairro São Marcos. Moradores não querem a instalação do terminal porque alegam que ele vai trazer insegurança. Já os passageiros preferem que continue na região central, próximo ao comércio.

A rodoviária de Rio Preto existe há 40 anos no mesmo espaço. Durante todo esse tempo, foram feitas poucas adaptações no prédio. O lugar ficou pequeno para comportar o número de veículos e passageiros, mas a localização ajuda quem chega e quem sai da cidade.

No ano passado, o prefeito Valdomiro Lopes propôs que o prédio fosse instalado no entrocamento entre as rodovias Assis Chateubriand e BR-153, mas a ideia foi rejeitada pelos parlamentares. Recentemente o presidente do Legislativo Paulo Pauléra levantou outra possibilidade.Há alguns anos, são estudadas maneiras de tirar a rodoviária do centro da cidade. Vários projetos foram apresentados tanto pela Câmara dos Vereadores quanto pelo Executivo, mas nada saiu do papel.

A nova proposta sugere que a rodoviária seja construída em um terreno que fica no bairro São Marcos. A área possui 140 mil metros quadrados e pertence ao Estado. No local funcionam vários departamentos públicos. A ideia é que uma parte do terreno que está desocupada seja doada ao município.

A Câmara e a Prefeitura de Rio Preto já fizeram o pedido para o governador Geraldo Alckmin. Se o espaço for cedido, o Governo Municipal diz que vai abrir licitação para que seja feito um projeto e estudo da área. O arquiteto e urbanista Delcimar Teodózio diz que vários fatores devem ser analisados antes do início das obras. “Para construir, depende de um estudo de mobilidade urbana, todos têm de ter acesso a rodoviária por ônibus, taxi, carro, como for. Ter também um estudo de impacto de vizinhança, se vai ser um impacto positivo ou negativo, e um estudo regional, porque a rodoviária de Rio Preto atrai pessoas da região”, afirma.

Os moradores do bairro estão preocupados com a notícia. O fotógrafo Ricardo Campelo elaborou um documento com mais de 300 assinaturas contra o projeto. “É um bairro bom, pacato e isso vai desencadear a falta de segurança. Queremos que esse abaixo assinado chegue até o vereador Geraldo Alckmin”, diz. A assessoria de imprensa da prefeitura informou que a área do bairro São Marcos é apenas uma sugestão e que o local ainda não definido.

Fonte: TV Tem

Postar um comentário

0 Comentários